Acessibilidade

Uma feira de negócios e de desenvolvimento humano.

Projetado como a unidade mais forte na cadeia produtiva da fruticultura que é a base econômica da comunidade de Novo Remanso, no município de Itacoatiara, o abacaxi é a referencia de uma feira, realizada há dez anos, como vetor de crescimento da economia local e como exemplo de uma nova atividade para ser exemplo de agricultura rentável no estado do Amazonas.

Iniciada dia primeiro de agosto, a Feira teve seu ponto alto dia 2 de agosto com as palestras técnicas, transferência de tecnologia aplicada no campo, apresentação de modelos de equipamentos que elevam a produtividade e a oferta de financiamento, com ou sem garantias pela Agencia de Fomento do Amazonas – AFEAM, com juros baixos e carência adequada ao projeto apresentado.

O prefeito Antonio Peixoto fez um relato didático da cultura do abacaxi em Novo Remanso, colocando fatias de emoção ao lembrar os pioneiros na atividade, a aposta na produção e o inicio da utilização de métodos mais racionais e ágeis de retorno dos recursos e esforços, da abertura de mercado e da conquista do respeito nacional como o melhor, mais doce e mais produtivo no Brasil, saindo dos primeiros embriões para chegar no dia de hoje a 68 milhões de unidades exportados para mercados consumidores de Manaus e outros estados.

Documentando os agricultores para acesso ao crédito foram entregues instrumentos básicos como a Carteira do Produtor Primário e o Cadastro Ambiental Rural, trabalho realizado pelos técnicos do IDAM, do sistema SEPROR e da Secretaria Municipal de Agricultura, permitindo a agilidade na aprovação dos cadastros junto à AFEAM, que esteve presente desde o primeiro momento com a consultora Michele Duarte, amanhecendo o dia com 180 mil reais aprovados, incluindo os programas procalcário e promecanização e dezenas de cadastros de solicitação do crédito.

Os agricultores ficaram sabendo, nas rodadas de negócios, com a participação de marcas de equipamentos e de empresas locais, que a AFEAM disponibiliza 40 milhões de reais para os municípios, com 50 mil sem garantias e 150 com garantias reais, todos com carência no arco de resposta da atividade, o que é apontada por indicativos dos técnicos do IDAM.

A participação da comunidade do Novo Remanso, hoje com 3 mil produtores e uma população de 12 mil pessoas, foi integral com adesão de etnias indígenas, apresentando seus produtos e o sistema associativista, que eleva a rentabilidade e é a semente do processo de cooperativa, dentro dos moldes preconizados pela Organização das Cooperativas Brasileiras- OCB, que esteve presente, com orientação técnica e elevado estoque de financiamento pela sua rede bancária.

O prefeito Antonio Peixoto comemorou os resultados e anunciou que já está em fase final de estudos a colocação do abacaxi de Novo Remanso na prateleira de exposição como referencia nacional, marca de um produto único, o que o valoriza mais, eleva o estimulo produtivo e conduz ao beneficiamento com a atração de investimentos para a agroindústria, agregando valor ao produto e o transformando no primeiro produto do Amazonas, produzido em escala, para entrar na pauta de exportação nacional e internacional.

“Hoje temos, até a biqueira da ponte do Lindóia, os incentivos da Zona Franca de Manaus, numa área de 1.250 quilometros quadrados onde pode ser instalado um Distrito Agroindustrial, alavanca de uma nova fase, que não está longe e só preciso acreditar e lutar, assim como foi feito quando se lançou no solo, a primeira semente do abacaxi” explicou o prefeito Antonio Peixoto